Olá mulher linda, vamos começar por nos situar em alguns conceitos?! Bora lá:

Não vestimos a roupa que nos fica bem… vestimos o que somos!

E o que somos pode estar neste exato momento desfasado do que realmente somos, do que somos no nosso íntimo… mais do que isso podemos nós estar tão longe de nós mesmas, que não nos revemos no que vestimos hoje, e por ventura, no que somos hoje!

Assim, vestir a Pele da Alma é muito mais do que vestir a roupa que nos fica bem, ter um guarda-roupa perfeito ou encontrar o estilo melhor para nós…

Vestir a Alma é encontrares-te contigo mesma!

É sentires que a roupa que te veste auxilia a sentires-te segura de ti, segura dos teus ideais, segura dos teus valores e, mais do que isso, a encontrares no mundo físico algo que te ajuda a revelares ao mundo o Ser lindo e imperfeito que és!

Partilho contigo uma história que vai ajudar a veres-te linda, como és:

Era uma vez uma menina que em pequena, e até mais graúda, tinha um avô com o velho hábito de lhe pedir ajuda e terminar o pedido em tom terno e afetuoso, com a afirmação “que és linda!”. Eram capazes de estar todos sentados em frente ao fogão de lenha, e enquanto conversavam em família, o avô pedia: “Vais buscar-me ali o jornal, que és linda?”. E a menina realizava todos os pedidos feliz e realizada… não que ele fizesse o pedido num tom de “suborno” mas fazia-o reforçando a atitude de a menina aceder de livre e boa vontade a um pedido seu! Essa menina era eu que inocentemente memorizou aquilo que há algum tempo atrás decifrou como pilar base da sua Alma… “Eu sou linda quando faço o que me faz feliz”!

Ter redescoberto este tesouro em mim motivou-me a trabalhar com mulheres ajudando na descoberta da beleza que vem de dentro para refleti-la por fora!

Mas seres linda é suficiente para TE vestirES linda?

Não, não é!

Saber o que nos faz felizes não nos faz vestir de nós! Porquê? Porque, por alguma razão, em algum ou alguns momentos das nossas vidas, há um “roubo de tesouro”. Um momento em que por ingenuidade, por dificuldade em entender os motivos do “outro”, por inexperiência na nossa projeção do que poderemos vir a ser no futuro, por falta de atenção a todas as pistas ambientais e porque o destino está sempre a tecer lições… ficamos desatentas e deixamos de proteger a nossa pele!

Perder a pele é perder a nossa proteção, o nosso calor… ficar sem pele induz a mulher a fazer o que pensa que tem de fazer em vez de fazer o que realmente deseja fazer! Não se esquece de si mas amargura-se na lembrança…

Por variadas razões talvez não te estejas a sentir bem na pele que vestes… e isso é indicativo que algo não está bem! Saber recolher ao lar é a chave para recuperar a tua verdadeira pele, o teu tesouro! Volta ao teu lar interno, onde estava guardado o tesouro que te foi roubado. Não interessa neste momento querer reclamá-lo mas sim perceber onde estava, como era e reviver o que te fazia sentir!

Volta ao lar, mergulha nas profundezas escuras onde provavelmente te irás magoar, mas será um mergulho necessário, para recolher informação preciosa a fim de poder encontra-lo.

Assim peço-te hoje:

Procura a tua Pele de Alma, que és linda?!

Olha para ti, para o que foste em criança, para o que és e para o que desejas ser!

  • Que cores te fizeram feliz?
  • Que imagens e padrões recordas?
  • Que peça de roupa adoravas ou odiavas vestir?
  • Que peça de roupa hoje te faz feliz?
  • Como te vês vestida quando te olhas plena de sucesso?

Vamos vestir-nos de Alma!?

Vamos juntas descobrir a MULHER LINDA que somos?

Por hoje tiro a roupa e apenas mergulho, para procurar a minha Pele da Alma!